Presente surpresa

Imagem

 

Sinopse:

É ano novo e aniversário do nosso Lee Sungmin, só tem um problema. Ele está só em casa… Espera. Kangin também está em casa, mas… Meu Deus! O que há com ele?

Hoje é um dia especial. 31 de dezembro. Além de virada do ano também é o meu aniversário! Os meninos estão ansiosos, preparando a comida, comprando ingredientes caros, e claro, meus presentes!

São três horas e ainda não sei o que vestir… Será que Ryeowook-dongsae tem alguma roupa sobrando?

– Jongwoon-hyung, viu Ryeowook por aí?

– Ele saiu. É urgente?

– Não. Só queria saber se ele tinha roupa. Estou com preguiça de comprar.

– Ele deve ter sim. Espera ele chegar.

Estou com sono, acho que vou dormir.

Inferno! São 9 horas e ainda não me arrumei. Aquele moleque ainda não chegou?! O que faço agora? As lojas já fecharam!!!

Nossa! Na sala não tem ninguém… A casa está deserta, pra onde foram todos? Será que esqueceram que marcamos de passar o Réveillon juntos e cada um foi pra casa de sua família? Espera, é impossível! Donghae teria que pegar o metrô e… Ele vai passar com a namorada! O que faço agora? – oops – Um barulho no quarto.

Estou indo lá verificar… Ah, é Kangin-ssi! E está… lendo?! Todo desarrumado, nem sabia que ele usava óculos! Mas, ele vai ficar aqui? Quem não festeja o ano novo? Quem não lembra que além de ano novo é o meu aniversário?!

– Kangin-ssi, onde estão todos?

–Não sei. – nem tirou os olhos da página do livro para me responder.

– Não vai se arrumar?

– Não.

Será que era alguma pegadinha? Em plena véspera do dia do meu nascimento e virada do ano me deixam sozinho em uma casa com um garoto que mal sei o nome de verdade?! Ai que dó.

– Com licença. – Fui me retirando.

– Aonde vai?

– Quê?

– Você vai sair?

Oxe! Tá me tirando Guaxinim? Por favor, diga-me que isso é uma pegadinha. O garoto que nem queria falar comigo agora está querendo que eu lhe dê satisfação… Anda gente! Apareçam com um bolo enorme e digam “SungMin-ssi, feliz aniversário! Temos presentes maravilhosos e não importa se está parecendo um mendigo, você é lindo de qualquer jeito”.

– Não sei. – Dei um sorriso simpático e saí rapidamente da sala.

RyeoWook não atende o celular. Estou ficando um pouquinho deprimido… Vou tomar banho, dane-se a roupa, pelo menos estarei limpinho e lindo.

A água está fria! Vou pro quarto dos mais velhos.

– Kangin-ssi, posso banhar aqui? A água do meu chuveiro está fria.

– Okay, sairei pra que se sinta mais a vontade.

– Não, tudo bem. Não quero incomoda-lo.

Retirei a toalha. Somos homens, por que vergonha?

Enquanto me deliciava com a água reparei que Kangin-ssi me olhava de uma maneira diferente, como se eu tivesse algo estranho. Ignorei.

– Hyung! O que está fazendo? – Tomei um susto quando senti ele me agarrar de surpresa.

– SungMin-ssi, me beije. – Ele me puxava contra o próprio corpo com seus lábios colados no meu pescoço

– Perdeu a sanidade? Pare por favor! O quê está fazendo?! – Gritei desesperado.

– SungMin, eu desejo você há muito tempo. Por favor, deixe-me mostrar o quanto te desejo! – Ele começou a descer com os beijos, passando pela nuca e agora as costas.

– Não. Você entendeu tudo errado. Gosto de garotas, por favor, pare. – Não conseguia me soltar, Kangin-ssi era muito forte.

– Se gosta de garotas como explica esse pau duro?

Ele me virou, foi seguindo uma trilha de beijos dos lábios até a virilha. Segurou o meu membro com muita delicadeza, porém o masturbou com um ritmo intenso. Não aguentei. Aquilo era muito gostoso, parei de resistir e implorei praticamente gritando:

– Hyung, não estou aguentando. Por favor, me chupe.

Kangin me olhou com cara de safado, aquilo me deixou excitado. Ele olhou pro meu pau, passou a língua em movimentos circulares na glande. Não suportei aquela sensação e empurrei sua cabeça sem dó. Forcei os movimentos de vai e vêm. Se ele estava gostando? Não sei. Na hora fechei os olhos. A sensação era indescritível.

– Hyung, eu acho que é agora.

Gemi tão alto que a vizinhança toda deve ter escutado. Não ligava nem um pouco. Os lábios de Kangin-ssi eram magia pura.

Aquele olhar de novo. Como aquilo me deixava louco! Ele limpou o canto do lábio tão sensualmente que me fez repensar se eu realmente gostava de meninas.

– Vire-se – Disse ele se levantando e desabotoando a calça.

Não questionei. Acho que queria senti-lo dentro de mim. Mas devo eu admitir? Agora não queria dar a menor importância para aparência.

Kangin-ssi era tão forte. Beijávamos enquanto ele me colocava de costas. Eram beijos tão quentes que acho que não terminariam tão cedo. Kangin-ssi era carinhoso e bruto ao mesmo tempo, ao me acariciar com paciência e ternura me beijava com força, como se fôssemos morrer em pouco tempo.

– O dongsae tem experiência? – Acariciava a entradinha do meu ânus.

– Eu já não disse que gosto de garotas?! – o Incrível foi que eu disse isso gemendo.

– Vou te ensinar a gostar do meu garotão – enfiou o dedo.

A sensação foi estranha, não foi de dor, e sim um incômodo. Ele estava beijando minha orelha, um dos meus pontos fracos. Conforme eu gemia ele empurrava, comecei a sentir uma sensação deliciosa. Logo os gemidos de desconforto tornaram-se gemidos de prazer.

– Hyung, vem pra mim. Gosto de garotos agora.

Kangin-ssi riu e falou:

– Não quero que goste de garotos, quero que goste de um garoto. – Penetrou-me puxando minhas pernas pra cima. A sensação logo mudou. Comecei a sentir muita dor.

– Kangin-ssi, pare, dói muito. – tentava escapar, mas ele não escutava. Olhei para seu rosto, sua expressão era de puro êxtase. Quando vi o prazer que estava lhe dando esqueci a dor e me forcei a curtir o momento. O Guaxinim era tão lindo que ficou muito gostoso. Meu pau endurecia novamente. Admito, fiquei tímido. Já o hyung ficou com mais tesão ainda. Começou a me masturbar e brincar com as minhas bolas. Apoiei minhas mãos controlando a velocidade.

– Hyung, agora. – gozei dessa vez deixando as marcas no box. O hyung vendo meu gozo ejaculou também.

– Dongsae, me lembre de não comemorar o ano novo novamente. – seu sorriso de satisfação me iluminava. Espera um pouco…O ano novo! Como tinha me esquecido?! Que horas são agora? Já devem ser umas dez e pouco?!

– Kangin-hyung, precisamos nos arrumar! Já deve estar tarde, temos que preparar a ceia, a roupa e…- Ele me calou com um beijo, dessa vez não era desesperado… O hyung teve muita paciência e leveza, parecia que íamos voar.

– Eu não vou me deprimir se passar o ano novo nu. – sorriu e passou a mão no meu rosto.

– Acho que também aguento meu aniversário sem roupas…

No dia seguinte, os hyungs e os dongsaes chegaram com uma cara de expectativa, me entregaram os presentes, mas tinha um problema… Todos me olhavam indiscretamente, na cara do Heechul-hyung então estava escrito “recém-amantes”. Será que Kangin-ssi tinha feito alguma aposta pra saber se me comia no meu aniversário??? Ai meu Deus! Eu vou morrer!!! O que está acontecendo? Se eu não morrer agora juro que mato aquele filho da… Sem palavrões agora! Perco a dignidade, mas não perco minhas finesas. Mas foi tão mágico! Ele não pode ser tão bom ator. Espera, Ryeowook piscou pra mim? Meu melhor amigo também entrou nessa? Vou tirar essa história a limpo.

– Onde vocês estavam ontem à noite? – cruzo os braços.

– A gente… Nya, não importa! Como foi a noite de ontem? – me cutucou com cara de malícia.

– Kim Ryeowook, não estou entendendo! Onde vocês passaram a noite ontem? – Me segurei pra não dar um murro na cara dele.

– Calma hyung – me puxou.

– Deixamos a casa livre pra você e pro Kangin-ssi. Eu sei que você gosta dele, por isso permiti. Ele insistiu tanto que achei que não teria presente melhor. – Me abraçou

– Wook, como assim eu gosto dele? – corei sem dó – O que está falando? – cubro meu rosto

– Minie, você o xinga, entretanto o apoia em todos os trabalhos. Diz não conhecê-lo, porém o acompanha em todas as bebedeiras sendo que odeia beber. É óbvio que sente algo forte por ele.

Caiu a ficha. Realmente gosto do hyung. Não permitiria que outro menino fizesse aquilo comigo. Mas naquele momento precisei de tempo pra pensar no que acabei assumindo.

Fui até a porta do quarto do hyung espiar. Precisava falar com o dito cujo. Não tinha ninguém a primeira vista. Entrei e tranquei a porta. Quando me virei, Kangin-ssi estava na cama coberto, mas com o peitoral a mostra.

– Aquele foi o seu presente de réveillon, o de aniversário começa agora, dongsaeng…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s