Tipos de lemon

Imagem

Sinopse:

Kris compartilha com seus fãs a frustração que tem em ler certos clichês em histórias amadoras criadas por fu(jo/dan)shi, explicando ao protagonizar uma cena de sexo com Suho como prova concreta
Imagem

Olá, querido(a) fu(jo/dan)shi.

Meu nome é Wu Fan e sou um provinciano nascido em Guangzhou, na China.

Como sabem, adoro ler rumores, facts e até mesmo notícias que vocês inventam. A imaginação de um(a) EXOtic é o que mantém o meu dinheiro circulando. Mas o maior lucro que a sua criatividade me proporciona não é o pecuniário. Não, dinheiro, hoje em dia, consigo tirando as calças ali na esquina. Agora, coisas interessantes para preencher o meu tempo livre, isso é difícil. Do que falo? Fanfics.

Eu simplesmente amo abrir o meu tablet e ver que vocês adoram me imaginar comendo o cu de onze menininhos. Mais do que isso, vocês também adoram ver o meu cu sendo comido por onze menininhos. Espera, na verdade, a maioria é bem rebelde com couples e só gosta de me ver com o Tao, sendo eu um “ativão”. Tem um lado bom, sempre rio quando descrevem o maior chupa boceta da SM como uma moça – Luhan –, mal consigo conversar com ele por causa do bafo de shota. Observei também que bondage é um estilo adorado pela maioria; correntes, chicotes, dominação, pulsos atados…

Pois bem, deixe-me amarrar você, agora. Sentiu-se amarrado(a)? Calma, não é um POV, não vamos transar. Vou torturar você. Não se preocupe, não vou te dar tapas nas nádegas até a minha mão marcar a sua bunda branca enquanto te chamo de putinha, como gosta de descrever – apesar de eu realmente duvidar que goste disso. Vou te torturar, mas não com um intuito sexual. Na verdade, sim. Mas você não participará da cena.

Tem certos “tipos de fic” que eu não aguento mais. Tipos de fic são gafes que se tornaram comuns, até mesmo clichês de histórias amadoras. Juntem a frase das aspas e ponham numa hashtag. Familiar? Ótimo. Voltando, não tenho mais estômago pra essas porras de “ponto sensível”; “anel muscular”; “reto esmagador”, nos casos mais extremos o ânus chega a ter hímen, e talz.

Mas vamos por partes. Comecemos das preliminares. Temos “línguas que lutam em uma batalha sem vencedor”, que já é até batida; algo mais romântico como “línguas dançando no ritmo que os corações batem em uma orquestra afrodisíaca da paixão”; ou uma tentativa de sensualidade misturando descrições científicas com metáforas infantis, que só torna a cena mais sem nexo, como “músculo úmido adentrando uma caverna acolchoada”. Mas pior do que o beijo, é o pós-beijo. As pessoas sempre ficam sem ar, muitas vezes a asma é o motivo do fim.

Certo. Ainda não viram o quão irritante é ler esses termos a cada fiction que abro? Pois bem, agora vou chamar o meu colega de grupo, Kim Junmyeon para mostrar-lhes “ao vivo e a cores” o que seria uma foda na cabeça de vocês e como nós, integrantes do EXO, lemos. Sim, vamos protagonizar tudo isso que vocês escrevem através de narrações durante o ato. Não vale pular cena, terão de ler diálogo por diálogo. E ação!

X

Chegando cansado de um dia de trabalho, vou correndo ao quarto pra dormir. De repente, vejo o meu namorado estendido na minha cama, e ele nem mora aqui.

– Suho-Donsaeng, o que faz tão manhosinho nesse aposento?

O admiro encolhidinho, com as faces rosinhas por estar só de camisola.

– Tava esperando o hyung. Bateu aquela saudade…- Colocou o indicador na boca de forma libidinosa.

– E como o donsaeng quer matar a saudade? – Questionei com segundas intenções.

– Você sabe o que eu quero. – Sorriu com inocência.

– Vou fazer um sorvete. – Senti meu braço ser impedido com um puxão.

– Não, hyung. Eu quero aquilo…

– AQUILO? – Questionei assustado.

– A-q-u-i-l-o. – De feições inocentes, transformou seu sorriso doce em malicioso.

– Mas você é virgem e tão inocente. Tem certeza de que quer isso?

Assentiu com a cabeça sem problemas.

Puxei-o da cama o tomando em meus braços.

– Venha, vamos juntar os nossos lábios enquanto as nossas línguas vivas fazem o resto do trabalho.

– Ah nem, hyung! O beijo já foi dado na introdução do conto…

– Na introdução?

– Sim. – Balançou a cabeça constrangidinho.

– Então vamos fazer a nossa própria!

O joguei na cama de quatro enquanto mordia os meus lábios até sangrarem.

– Vem, enfia o seu membro em mim.

– Qual deles?

– O que você tem de melhor!

“O menor” balançava aquele rabão ansioso para receber o meu pauzão. O crescimento do meu pau era proporcional ao balanço da bunda dele.

– VEM LOGO QUE MEU CU TÁ FICANDO COM CÃIMBRA DE TANTO PISCAR!

Enfiei um, dois, três, quatro, cinco dedos inteiros para caber a minha lapa de 34 centímetros, de largura é claro, com perigo de ainda sim não dar.

Enquanto esperava ansioso pra ele rebolar nos meus quilômetros de pica, eu sentia minhas digitais se desfazerem de tão quente que tava o negócio. Como eu ia chamar os meus dedos de dígitos agora?

– Seu cu tá pegando fogo. – Comentei sentindo-o rebolar. Retirei-os para os finalmente. – Tá com o cuzinho piscando?

– Tá piscando procê, meu macho.

A terra já estava arada.

– Está preparado?

– Antes do show começar!

Enfiei meu pau praticamente a seco.

– Nossa, donsaeng! Seu cu é tão apertado que está afunilando o meu pinto!

– Ain, meu cu é mais apertado que o buraco negro invertido do Baek.

Ele se contorcia e começava a se recolher. Eu, como “o maior”, não podia parar, então permaneci empalhando o ex-virgem. Foda-se essa gritaria.

– Tá doendo muito, hyung… Acho que vou morrer… Espera! Tá gostoso agora!!!  A Sandy tinha razão, é possível ter prazer anal! ARROCHA, DANADO!!!

– Nossa, como você é rápido, donsaeng!

– Claro, você está estimulando o meu clitóris masculino(meu entendimento de “ponto sensível”)!

– Seu reto está esmagando mais ainda o meu pau agora que tu tá no clímax. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH.

Meu sêmen o preencheu por completo. Sério, se tivesse passagem pelos ouvidos estaria transbordando.

Suho gozou logo em seguida, do contrário, não seria uma fic.

X

Eu não precisava ter parado a cena. Poderia muito bem ter colocado um oral em que “o pau DO MENOR ou DO MAIOR seria mais chupado do que uma criança chupando doce”, chupar paus com vontade porque o sêmen nas fics são docinhos, dizer como o “membro do meu parceiro” era quente, ou que quase engasguei com aquele pirulito de carne.

Poderia até mesmo nos tornar aptos para mais três fodas consecutivas com o mesmo texto, mas sem versatilidade, afinal eu sou o “ativão”. Não é? Jamais imaginariam que, na verdade, sou o chaveiro de picas da SM e aguento uma DP nervosa sem fazer cara de dor. Não precisa nem bancar o Edward do sexo, fazendo “dedos de tesoura”. E KrisHo que é mais real do que TaoRis, pois o Tao é conservador e tem três processos judiciais por homofobia nas costas – ele é amigo do Feliciano, seus trouxas, parem de achá-lo Freddie Mercury chinês.

Depois dessas verdades, posso até morrer. Já envenenaram o Sehun, que tava com cu quieto, por que não a mim?

Gostaram? Eu também não… Só não te desamarro porque quero que tenha uma pós-suicidefic extremamente dolorosa com reflexões horríveis de como seriam as transas se os bordões e as metáforas clichês de fics realmente acontecessem. Mentiras contadas cem vezes tornam-se fatos. Cuidado.

De pensar que existem pessoas que aprenderam o que é próstata lendo fanfic…

Beijos no reguinho de todos vocês. Próxima vez narro uma orgia entre o EXO onde ninguém pegará doenças venéreas depois, ou o meu próximo romance com o Suho, em que eu era um BadBoy malvado e ele um garotinho inteligente e inocente que vira puta quando me vê mijando no mictório.